A Conselharia Cultural da Embaixada da Espanha no Brasil

Atualmente, a ação cultural desempenhada por este Departamento guia-se pelas diretrizes da cooperação cultural e da ação cultural para o desenvolvimento, que incluem intercâmbios com a cultura espanhola, atividades de fortalecimento no setor cultural brasileiro, além de formação e capacitação.

 

Apesar desse último tipo de atividade ser menos visível, mas com duração maior que os grandes eventos, elas são consideradas fundamentais para consolidar um autêntico intercambio e cooperação cultural entre a Espanha e o Brasil.

 

No geral, pretende-se ir além da ação cultural tradicional, unilateral ou unidirecional, de mera difusão, para conseguir uma interação e intercâmbio de experiências e conhecimento objetivos, reais e produtivos.

 

Para isso, fomentam os contatos diretos com pessoas e instituições de ambos os países e de toda Iberoamérica, e se desenvolve aspectos educativos, sociais, econômicos e políticos da cultura.

 

 

Também procura-se manter um equilíbrio geográfico, com atividades de cooperação cultural nas várias regiões do país (apesar de ter o Nordeste como Região prioritária). Paulatinamente tenta-se que essa ação cultural abarque não só as cidades de grande e médio porte mas, também, o meio rural, onde esse tipo de atividade sempre foi menor.

 

O Departamento Cultural realiza atividades de difusão da cultura espanhola dentro de um marco de cooperação e ação cultural para o desenvolvimento planejado mediante linhas estratégicas direcionadas aos seguintes objetivos:

 

Formação de capital humano para a gestão cultural com ênfase em projetos de cultura e desenvolvimento.

Linha estratégica: Facilitar e fomentar os processos que contribuam para a criação de recursos humanos, (potenciando) potencializando sua autonomia na gestão das diferentes dimensões da vida cultural, com (incidência) enfase no desenvolvimento.

 

Consolidação da dimensão política da cultura na sua contribuição para o desenvolvimento.

Linha estratégica: Incidir nos diferentes aportes que as políticas culturais podem realizar para contribuir com a melhoria da governança, fomentando o desenvolvimento institucional cultural, estimulando a participação cidadã, contribuindo, assim, para criar uma cidadania ativa em sua vida cultural.

 

Reforço da dimensão econômica da cultura na sua contribuição para o desenvolvimento.

Linha estratégica: Potencializar a contribuição da cultura no desenvolvimento do setor econômico mediante a promoção, criação e produção de empresas, indústrias e instituições culturais e criativas, fomentando emprego cultural e conexões com outros setores econômicos.

 

Fortalecimento da relação e complementaridade entre Educação e Cultura.

Linha estratégica: Reforçar as estruturas e conteúdos culturais dentro dos processos de educação, tanto formais como informais, buscando uma melhor compreensão e participação dos alunos e alunas nos fenômenos culturais e artísticos contemporâneos.

 

Gestão sustentável do patrimônio cultural para o desenvolvimento.

Linha estratégica: Apoiar e trabalhar com os inúmeros processos existentes em conservação, restauração, preservação e valorização dos bens patrimoniais, tanto materiais como imateriais, buscando a contribuição que esses esforços possam aportar ao desenvolvimento sustentável.

 

Fortalecimento das relações entre comunicação e cultura com impacto no desenvolvimento.

Linha estratégica: Promover nas comunidades processos comunicativos próprios que possam contribuir com a inserção dos diferentes setores da comunidade e ajudar na formação de públicos, gerar novas indústrias culturais e estimular a co-produção.

 

Impulso aos processos de reconhecimento dos Direitos Culturais.

 

Linha estratégica: Reforçar a sensibilidade nas sociedades pelos temas relacionados com a diversidade cultural e o desenvolvimento dos Direitos Humanos no âmbito da cultura, potencializando estudos sobre os diferentes aspectos da legislação cultural.